segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

SOLIDÃO


Meus momentos prediletos: solidão, solidão Mas sempre convosco, Jesus, Senhor!

Junto ao vosso coração, passo horas agradáveis
E junto dele, minha alma encontra descanso.

Quando o coração está repleto de Vós e cheio de amor,

A alma arde com fogo puro.


Então no maior abandono, a alma não sente solidão,
porque descansa em Vosso seio.

Meus momentos prediletos: solidão, solidão
Mas sempre convosco, Jesus, Senhor!


Ó solidão, momentos da mais elevada companhia;

Embora abandonada por todas as criaturas.


Afundo-me toda no aceano de vossa divindade,

E Vós ouvis ternamente as minhas confidências.


Meus momentos prediletos: solidão, solidão

Mas sempre convosco, Jesus, Senhor!


Que em Deus, eu atravesse tudo isso que me acontece agora.
Com Maria, sempre...



segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Crônica da Saudade

A palavra Saudade traz em si, diversos significados que podem ser interpretados de acordo com o contexto onde é aplicado. Sua origem encontra-se no Latim, Solitate, e se pesquisada, descobriremos que a conotação contemporânea distanciou-se da original. Saudade não mais se refere ao sentimento de solidão preservado em variações de línguas românicas como o espanhol: soledad e soledat.

Sobre a saudade, podemos encontrar definições como "Sentimento mais ou menos melancólico de ausência, ligado pela memória à situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável"; ou "Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoa ou coisa distante ou extinta. Pesar pela ausência de alguém que nos é querido". Como sinônimos, encontramos Lembrança e Nostalgia.

Em 30 de janeiro celebra-se o "Dia da Saudade". Na gramática Saudade é substantivo abstrato, tão abstrato que só existe na língua portuguesa. Os outros idiomas têm dificuldade em traduzi-la ou atribuir-lhe um significado preciso: Te extraño (castelhano), J'ai regret (francês) e Ich vermisse dish (alemão). No idioma inglês encontramos várias tentativas: homesickness (equivalente a saudade de casa ou do país), longing e to miss (sentir falta de uma pessoa), e nostalgia (nostalgia do passado, da infância). Mas todas essas expressões estrangeiras não definem o que sentimos. São apenas tentativas de determinar esse sentimento que nós mesmos não sabemos exatamente o que é. Não é só um obstáculo ou uma incompatibilidade da linguagem, mas é principalmente uma característica cultural daqueles que falam a língua portuguesa.

Saudade não tem cor, mas pode ter cheiro. Não podemos ver nem tocar, mas sabemos o quanto é grande. Pode ser o sentimento que alimenta um relacionamento amoroso ou apenas o que sobra dele. Pode ser uma ausência suave ou um tipo de solidão. Pode ser uma recordação daquele momento e daquela pessoa, que um dia, mesmo sabendo ser impossível, ousamos querer reviver e rever. É a dor de quem encontrou e nunca mais encontrará, de quem sentiu e nunca mais voltará a sentir. A saudade se combina com outros sentimentos e procria-se. A soma da saudade com a solidão é igual a Dor. O resultado da saudade com a Esperança é a Motivação.

Saudade é uma só, em diferentes palavras. É comum encontrá-la grafada nas lápides em alusão a dor da ausência provocada pela morte. Mas na Literatura e na Música é um tema crônico. É quem arquiteta a estrofe e conduz o tom. Não importa o gênero literário ou o estilo musical, não importa o autor, a época ou a situação.

Casimiro de Abreu versificou sua saudade da infância: "Oh! que saudades que eu tenho / Da aurora da minha vida / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!". Álvares de Azevedo antecipou a saudade mortal: "Se eu morresse amanhã, viria ao menos / Fechar meus olhos minha triste irmã / Minha mãe de saudades morreria / Se eu morresse amanhã!". A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, também registrou sua saudade: "E a esta hora tudo em mim revive / Saudades de saudades que não tenho... / Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...".

O Rock brasileiro transformou a saudade numa de suas bandeiras. Renato Russo cantou: "nessa saudade que eu sinto / De tudo que eu ainda não vi". Ainda nas canções de Renato: "dos nossos planos é que tenho mais saudade". Entre o Rock e a MPB, Cazuza, declarou: "Saudade do que nunca vai voltar / E dos amigos que se foram / Eu hoje estou com saudade". Tom Jobim e Vinícius de Moraes compuseram: "Chega de saudade / A realidade é que sem ela não há paz...".

Saudade é um registro fiel do passado. É a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso na alma. Ao confessarmos uma saudade, na verdade, estamos nos vangloriando de que, ao menos uma vez na vida, conhecemos pessoas e vivemos situações que foram boas, e serão eternas em nossa alma. Nutri-la, é alimentar o espírito e a própria existência.

Se há tantas e, ao mesmo tempo, tão imprecisas definições de saudade, resta-nos apenas cultivá-la e alimentá-la com pensamentos, músicas, perfumes, fotografias, lugares, fins de tarde e madrugadas. Saibamos viver plenamente o presente, pois ele será a saudosa lembrança de amanhã.

sábado, 6 de dezembro de 2008

O quando de Deus



Quando o sonho se desfaz, Deus constrói

Quando se acabam as forças, Deus renova

Quando é inevitável conter as lágrimas, Deus dá alegria

Quando não há mais amor, Deus o faz renascer

Quando a maldição é certa, Deus a transforma em benção

Quando parece ser o final, Deus dá um novo começo

Quando a aflição quer persistir, Deus nos envolve com a paz

Quando a doença assola, Deus é quem cura

Quando o impossível se levanta, Deus o torna possível

Quando faltam as palavras, Deus sabe o que queremos dizer

Quando tudo se parece fechar, Deus abre uma nova porta

Quando você diz: "não vou conseguir", Deus diz: "não temas pois estou contigo"

Quando o coração é machucado por alguém, Deus é quem derrama o bálsamo curador

Quando não há possibilidades, Deus faz o milagre

Quando só há morte, Deus nos faz persistir

Quando a noite parece não ter fim, Deus faz nascer o amanhecer

Quando caímos num profundo abismo, Deus estende sua mão e nos tira de lá

Quando tudo é dor, Deus dá refrigério

Quando o calor da provação é grande, Deus dá a sombra da sua presença

Quando o inverno parece infinito, Deus traz o verão

Quando não existe mais fé, Deus diz: "acredita"

Quando estamos a um passo do inferno, Deus nos dá a direção do céu

Quando não temos nada, Deus nos dá tudo

Quando alguém diz que somos nada, Deus diz que somos mais que vencedores

Quando difícil se torna caminhar, Deus nos carrega no colo

Quando fraquejamos, Deus nos fortalece.


Para todos aqueles que, como eu, esperam em Deus e vivem da Sua providência. Quem sabe do que falo, pode se alegrar! O tempo de Deus está se realziando!


Te amo!

Tenho Amigos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade, e eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem. Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida. Mas porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles.

Eles não iriam acreditar! Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure. E às vezes, quando os procuro, noto que ele não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo! Por isso é que sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles. E me envergonho porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...

Se alguma coisa me consome e me envelhece, é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os."

(Crônica de Garth Henrichs)

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Ursos de pelúcia fazem 'passeio' pelo Espaço



Brinquedos foram enviados de Cambridge, na Inglaterra. Alunos de 12 a 13 anos 'comandaram' vôo em balão.

Quatro ursos de pelúcia chegaram onde nenhum outro brinquedo fofinho havia chegado: o Espaço. Amarrados a um balão experimental, os bichinhos voaram por 2h a cerca de 30 km da superfície da Terra. (Foto: Divulgação/Cambridge University)




Os 'ursonautas' foram enviados por alunos de 12 a 13 anos de escolas públicas da região de Cambridge, cidade universitária na Inglaterra. O vôo foi registrado por uma câmera digital de vídeo. (Foto: Divulgação/Cambridge University).


Eeeeeeeeeeeeeee!!! Agora eles podem dominar o mundo! Ia mandar o Bastião, mas ele tava gripaaado!!!

XERO!


quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Ter Pastores e ser cuidado...


Lá vai o Pastor,à procura da ovelha que se perdeu,à procura do olhar que se desviou do Seu.

Lá vai o Pastor,à procura da ovelha que se perdeu,à procura do olhar que de desviou do Seu.

A encontrou em campos que não são seus,e viu que em suas feridas a dor está,em seus olhos há somente a solidão e gora só deseja ao redio voltar.

A ovelha sou eu,e não conheço outra voz,por isso quando eu fugi, me cansei, me perdi.

Eu procurava outra outra voz,mas não pude encontrar.

Hoje posso ouvir,de novo a voz do Pastor a me chamar,e assim eu compreendi se de Ti eu fugir 99 ou mais deixarás para trás,e irás me buscar...

A ovelha sou eu,e não conheço outra voz,por isso quando eu fugi, me cansei, me perdi.

Eu procurava outra outra voz,mas não pude encontrar.

Hoje posso ouvir,de novo a voz do Pastor a me chamar,e assim eu compreendi se de Ti eu fugir 99 ou mais deixarás para trás,e irás me buscar...

A encontrou em campos que não são seus,e viu que em suas feridas a dor está,em seus olhos há somente a solidão e gora só deseja ao redio voltar.

A ovelha sou eu,e não conheço outra voz,por isso quando eu fugi, me cansei, me perdi.

Eu procurava outra outra voz,mas não pude encontrar.

Hoje posso ouvir,de novo a voz do Pastor a me chamar,e assim eu compreendi se de Ti eu fugir 99 ou mais deixarás para trás,e irás me buscar...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

O Movimento da Vida

Eu não sei se a vida é que vai rápida demais ou se sou eu que estou mais lento. O que sei é que ando me atropelando nos próprios passos.
Eu resolvi desacelerar. Eu vou no rítmo que posso.
Não é fácil. É sabedoria que requer aprendizado! Eu quero aprender.
O descompasso é a causa de todo cansaço. O corpo é rápido, mas o coração não. O corpo anda no compasso da agenda. O coração anda é no compasso do amor miúdo. O corpo sobrevive de andares largos. O coração sobrevive de pequenos passos e de demoras. Eu já fui e voltei a inúmeros lugares e o coração nem saiu do lugar.
O mistério é saber reconciliar as partes. Conciliar um ritmo que seja bom para os dois.
Eu quero aprender. Não quero o martírio antes da hora. Quero é o direito de saborear o tempo como se fosse um menino que perdeu a pressa. O compromisso? Ah, deixa pra depois. Acendemos as luzes noutra hora. Deixe que eu viva a penumbra de algumas poucas velas... Combino mais com uma vela acesa que com um canhão de luz.
Há momentos em que a luz miúda nos revela muito mais que mil holofotes.
Chega de vida complicada. Eu preciso é de simplicidade!

Cansei! Agora vou seguir o que o vento disser. E o vento, ah o vento... Esse é DEUS!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Cheio de ESPERAnças...

Medo.

Poderia começar esse post sem ser tão enfático. Mas é como tenho vivido há mais de 4 meses... Com medo...

Não deixei perceberem tanto assim, só aqueles aos quais eu não tive como disfarçar, porque me conhecem mais do que eu mesmo... E como foi difícil te contar amigo fiel... como...

Aconteceu... Sabia que um dia eu ia adquirir algo ruim na minha vida que me servisse de lição por ser tão intenso assim. E foi o que aconteceu. Exames, exames e exames, rotina de pura angústia nas idas e vindas nas madrugadas sem ninguém saber, sozinho, com medo de gerar medo em quem amo. Não consegui 100% isso, pois como já disse, tem gente que me ama mais do que imagino e sabe, percebe e acompanha minhas dificuldades. Obrigado e desculpas, mesmo que não sejam aceitas...

Abstrato tudo o que falei, tenho até certeza disso. Mas já viu o nome do post? Cheio de ESPERAnças... Palavra que denota duas outras: A ESPERA em Deus para que a vontade dele se cumpra verdadeiramente e a esperança em si, de nos mostrar que é possível crer.
Assim como Santa Teresinha, escolho as duas, escolho tudo. Escolho ser feliz, escolho deitar e ver as nuvens no céu da mesma forma de como eu era criança, escolho sair no fds com meus amigos sem ter hora pra voltar e quando voltar, não me preocupar com o amanhã, pois eles ainda estarão ali comigo, chorar sem medos, sorrir sem receios, ser livre. Saber que há um Deus que me espera e que me ama muito além de toda e qualquer coisa que um dia possa vir macular esse amor...

Cansei sabe? De ser tão amável e aceitar qualquer tipo de olhar, qualquer tipo de bom dia, qualquer tipo de "eu te amo". Cansei. É diferente de desistir. Não desisto de forma alguma, até porque aprendi com alguém acolá que não existe essa palavra em meu dicionário. Aliás, nunca existiu, apenas percebi esse ano. Mas percebi...

Vou ESPERAR. Para que o amor seja aceito, para que a espera seja acompanhada, para que a indiferença seja anulada e a percepção, literalmente percebida. Desabafo? Sim. Mas sem rancores, apenas na certeza de que agora, se der tudo certo quarta-feira, minha vida recomeça. Digo até que será meu aniversário! Legal perceber isso sabe? Ao invés de estar colhendo a infrutífera colheita da palavra POR QUE? Ao invés disso, sigo na fé, em meu Deus que tudo pode e na Mãe que me acolhe, de saber que ao redor da pergunta infrutífera, existe muito de mim ainda, que é nesse muito, que eu me seguro: no amor da minha vida, nos meus tesouros fiéis, no meu serviço e estudos, mas acima de tudo, nesse Deus que é só amor, e que, quando eu descobri o mal que me afligia, me fez lembrar da canção:

"Não desita do Amor, não desista de Amar..."

Estou bem. Queria só deixar de sentir medo. Mas se Deus quiser, isso tudo passará. Pelo menos eu ESPERO que sim. Se não, seja o que Deus quiser. Eis me aqui, não afastarei o rosto óh meu Deus...

Ei, você que me ama e que lê aí do outro lado... reza viu? Mesmo sem saber do que é... Apenas reze.

A quem merece: Eu te amo!